BLOG DE FOLGA!

ATENÇÃO!

 

O NOSSO BLOG ENTROU DE FÉRIAS…EM BREVE NOVIDADES!

 

 

ATT,

Anúncios

30 Anos da Pista Velha de São Bernardo do Campo

Imagem

Grande Celebração do Skate Nacional!!!

No dia 30 de Junho, a “Pista Velha de SBC” faz 30 anos na História do Skate Nacional e traz uma grande comemoração, em forma de evento multicultural.

Sessões de Skate Old School, Best Trick, Escritores de Graffiti, Produtores de Cultura de Rua em geral, ativismo e principalmente Skatistas com Skate na alma.
Uma dia com a Trilha Sonora Skateboard com muito rap e punk rock, exposição de fotos de skate, exposição de quadros com a História do skate de SBC, Bazart e banca de empréstimo de livros e vinis e exibição cinematográfica.

Muita cultura, arte, música, cinema e é claro muito skate na veia!

Imagem

ATENÇÃO: O evento é totalmente dentro da pista, no próprio Granilit, as sessão de skate serão exclusivamente no Bowl e o resto da pista de concreto apresentará o evento com livre acesso ao publico! Quem não anda de skate e nunca pisou na pista poderá pisar pela primeira vez dentro dela e interagir com todas as apresentações.

Celebraremos a história do Skate com respeito, valorização e originalidade.

Confira a programação clicando aqui.

 

Por Sergio Narciso

IX MOTIRÕ EM MOVIMENTO – MÊS DA CULTURA JAMAICANA

Bem Vindos!

Bem Vindos

Após reunir muitas forças para descrever o mês de Junho de uma forma resumida, aqui vai: direto e reto!

O mês da cultura Jamaicana foi regado de chuva em suas duas edições, e o público não se intimidou comparecendo em peso nos dois dias e o lado melhor ainda disso tudo é que a chuva conseguiu com que a galera ficasse mais próxima ainda das atrações eliminando o ambiente “rua”.

Abrimos com a montagem e inauguração da exposição de Alex Senna, ele impôs o caos em seus trabalhos, misturando inúmeros quadros de várias fases de seu talento. Batendo o recorde das exposições mensais com 20 obras de arte, encantou a galera com muito nanquim.

Assim, na segunda noite iniciamos a música com o peso de Dub Del Lest, toasteando e mandando brasas cheias de efeitos no sound system da noite. Dj YesCal intercalou muito peso entre os projetos musicais, fazendo todo mundo se perguntar que DUBSTEP era aquele. Na sequência, muita raíz com o reggae de Guerreiros de Judá que encerraram um show pra frente com a participação inusitada de Sensimilla Dub. Fechando o musical da noite Cipokaya surpreendeu geral com um som pesado, adubado e cheio de energia. Red Lion, conduziu a noite com maestria e ainda aproveitou muito pra Toastear pela noite. Assim entregamos à sociedade civil o que nos propomos a mostrar da Cultura Jamaicana que é tão viva em nosso território.

No Live Paint, contamos com a presença dos carismáticos Plano B e Yuri Zambroni, coloriram a última edição do mês da Cultura Jamaicana com várias técnicas que dois sortudos levaram pra casa.

NOTA DE ESCLARECIMENTO: A Banca de Empréstimos de Livros e Vinis ficou presa no último estabelecimento que utilizamos e esteve indisponível nessa edição… Na próxima, a banca volta com tudo, não deixe de devolver, doar ou retirar um item.

O BAZART vem sendo uma parte promissora do projeto com a evolução dos artigos comercializados ali. Chronic, Muffs (Gentilmente cederam um item para sorteio ao público), DAZRUA, Camisetas dos Beastie Boys, RATM e do Chico Science, Lendazaru e os estreiantes Lace B e Bambu & CIA (Gentilmente cederam itens para sorteio ao público) e uma atenção especial ao artesanato de Favela Engarrafada, trabalho único, minimalista e totalmente manual.

Os registros ficaram mais uma vez por conta de Renato Castro ao vivo! Confira clicando aqui.

Assim, fechamos o Mês da Cultura Jamaicana com várias presenças que fortalecem a cultura viva de um modo geral, tocando, divulgando, interagindo e prestigiando! Grato a todos pela oportunidade de trabalharmos com isso.

Pra quem consome muito a Cultura Jamaicana, dia 14/08, celebraremos o Dia de Marcus Garvey. Aguardem…

Pra quem gosta do Motirõ em Movimento independente do tema, até dia 03/07, abrindo o Mês do Rock com Os Robertos!

BAZART & Alex Senna

Por Sergio Narciso.

X QUARTA EM MOVIE – TECENDO E TRANÇANDO ARTE

Ação!

MANIFESTO CRESPO – TECENDO E TRANÇANDO ARTE

É com muito orgulho que exibimos mais um filme independente no Gambalaia. Tecendo e Trançando Arte do Manifesto Crespo:

O Manifesto
O Coletivo Manifesto Crespo, nasceu a partir de discussões sobre as diversas questões do universo da cultura afrobrasileira, suas produções artísticas e estéticas, buscando reconhecer seu valor e fortalecer a memória e a autoestima de homens e mulheres negros, numa luta pelo resgate das nossas origens – uma vez que nosso país conta com a maior população originária da diáspora africana.
O Manifesto Crespo quer promover o universo da estética negra brasileira, e também o intercâmbio com outros países da África e diáspora negra, principalmente ao que se refere à moda e produções artísticas do cabelo crespo, levando em consideração a relevante importância dessas criações, que trazem expressiva contribuição para o resgate da africanidade de um povo, mantendo vivo o modo africano de cuidar e se relacionar com o cabelo. O coletivo tem como foco central a discussão sobre como o cabelo crespo pode e deve ser encarado de uma forma criativa, fazendo com que se desmistifique a idéia de que existe cabelo ruim. O negro com seu cabelo e sua cultura são fonte de infinitas criatividades e de beleza!

Assim, 8 minutos de filme, renderam 2 boas horas de diálogo, aonde conversamos sobre a valorização de si, a descoberta e a violência para com o nosso corpo e os cuidados que devemos ter com a cabeça.

Foi enriquecedor a parte em que dialogamos sobre a valorização da raíz, não só a raíz do cabelo como a raíz do ser em assumir como realmente veio ao Mundo sem moldes estéticos definidos pela Indústria e pela TV.

Clique aqui para ver as fotos!

Até o próximo Quarta em Movie

Por Sergio Narciso, careca!

 

VIII MOTIRÕ EM MOVIMENTO

Bem Vindos

INTERCOLETIVOS LESTE/ABC EM PROL DA VIDA NA RIO+20

A mais um Motirõ em Alagamento…Em Movimento!!! Foi com o início das grandes chuvas desse mês que esse evento começou. Abrindo a valorização no mês da Cultura Jamaicana.

Recebemos na música os versáteis Lab Ann Dub, com total carisma e o já conhecido Esquema Ninja Produções, trouxe Ska, Roots e com certeza muito Dub pela noite toda.

Big Bang 59, sem voz, mostrou o que é SKA! Com 4 metais, e a característica batida bateria e baixo, durante 1 hora de show pesou no palco do Tupinikim no verdadeiro estilo e elegância que a vertente SKA traz em sua essência.

Fechando a música com Bud Dub, que já passou “Em Movimento” com Monkey Jhayam, com a Noite do Ben e agora pela primeira vez oficialmente como Bud Dub, sensacional banda de Dub de Mauá que agita e valoriza o instrumental.

Mc Araujo, conduziu a noite com maestria e também deu amostra de seu som.

A Marcha com o bandeirão que vai com as mensagens intercoletivos Leste/ABC para a Rio+20, foi impossibilitada pela chuva, mas em um momento de trégua o bandeirão foi estirado em frente ao Tupinikim para apreciação do público que concorda com as mensagens e o ansêio da Sociedade Civil que espera por notícias sérias e contuntentes na Conferência das Nações Unidas.

O Live Paint contou com Renato Ahoop e Sah! Que pintaram juntos uma das telas, Rafael Lucena com suas cheinhas de “charme” e Alex Vint3 com uma caveira agressiva cheia de detalhes.

O Bazart contou com a volta de DAZRUA, com a estampa de Danilo Roots, Maria Luisa com “cobertores de orelha”, Livia Xavier e Juliana Rodrigues com doces e bolos transcedentais, Biô Lógico estreiou com a Chronic, Mofo da Nega de Thaty Escobar sempre presente e até o Beto Pratas apareceu com seus produtos ao final do evento.

A Banca de Empréstimos de Livros e Vinis continuo com seu ritmo quente e agora irá estreiar nas Terças Autorais Multiculturais do Gambalaia em Terças alternadas com o Motirõ. Ou seja, na Terça que não houver Motirõ, suba a rua e vá até o Gambalaia, se trata de um formato de apresentações individuais de qualquer pessoa que tiver algo a acrescentar.

A fotografia contou com Os Sobrais (Fernando Sobral Dazrua e Renato “Sobral” Castro), clique aqui.

MOTIRÕ EM MOVIMENTO

E até o Próximo Motirõ em Movimento

Por Sergio Narciso

Instituto Novo Habitat

Imagem
Foi com grande vontade que o Coletivo N.A.S.A., participou da inauguração desse novo ambiente de transformação que abriu as portas para sociedade no último sábado, primeiro dia de Junho de 2012.Se trata do Instituto Novo Habitat, um amplo ambiente com sala de oficinas, um provável estúdio de gravação e a sala dos computadores, que integra a sociedade à nova era digitial. Inclusão digital a quem realmente necessita dela, afim de acompanhar o mercado e suas atualizações cada vez mais rápidas e constantes.

O Coletivo N.A.S.A. esteve presente no Ato Solene de abertura que contou com Samba no Palco, pinturas de pele, visitação do ambiente, demonstrações de defesa pessoal por Taiguara Del Rio e dois painéis graffitados pelo próprio Coletivo colorindo a rua e trazendo informação a quem por ali passasse…E não foram poucos que demonstraram interesse pelas atividades que ali se iniciarão. Tiago Nogueira fora muito hospitaleiro, sempre com seu jeito de pensar além de si, recebeu a população como irmãos que buscam melhoria de vida contínua.

Então, até o início da oficinas!

Por Sergio Narciso
Fotos por Renato Sobral

IX QUARTA EM MOVIE

Ação!

E rolou na última quarta-feira (30/05) um Reggae Documento de William Sernagiotto que não deixa dúvidas sobre a história da cultura jamaicana no Brasil. Claro que cada um que tire sua própria conclusão, mas registrou a fundo alguns lados do cenário, abrangendo desde o Ska até os sistemas de som.

InDUBtável é indubitávelmente um registro que deve ser considerado pelos adoradores da cultura jamaicana que transcende as gerações deixando seu legado.

Ao final o diálogo foi cativante pelo carisma de William Sernagiotto, que desbravou suas crônicas de um país miscigenado que muitas vezes importa uma cultura e a trata como se fosse sua. É o caso das cores da União Africana, equivocadamente e popularmente citada como as “cores da Jamaica”, traz para o nosso entendimento até um resgate de que todos somos filhos da África.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Por Sergio Narciso, amante da Cultura Afro

Fotos por Sol Macineli

Etiquetado ,

VII MOTIRÕ EM MOVIMENTO

Bem Vindos

Antes de falar sobre o dia 22, confira abaixo a edição do dia 8/5.

Pois bem, dia 22 foi mais um dia “milionário” de cultura no Motirõ em Movimento e agora rompendo as fronteiras brasileiras. O Tupinikim já abriu seu portão renovado, com a inauguração da Exposição de Galvani Galo. Mestre em surrealismo, geralmente tira essa expressão da boca dos visitantes: “Surreal!”. Exposição ficará na casa até dia 16/6.

Sendo assim, iniciamos os trabalhos artísticos com o Teatro Real, chocando e provocando o público a refletir sobre a existência da liberdade. e foi assim, teatro nú e crú.

O Bazart contou com Lendazaru, Burning, Mofo da Nega, Marinega Brachó, Beholder e os Muffs pra galera se preparar pro inverno que vem por aí, sempre prezando pela diversidade, o espaço do BAZART é aberto a qualquer expositor que queira vender/expor produtos alternativos. A banca de empréstimo de livros e vinis está com excelente ritmo de empréstimos e recebimento de doações.

Das intervenções, tivemos a campanha do agasalho registrando mais roupas boas em ação e a ação intercoletivos de sensibilização sobre a Rio+20, Cúpula dos Povos e a pressão popular para o Veto de Dilma Rousseff às mudanças no código florestal. O grupo levou materias para customização de roupas, somado aos folhetos explicativos do tema.

O Live Paint contou com Giw e na ausência de Zhein, que não conseguiu ir por motivos de força maior, Ago Sina substituiu.

Na música iniciamos os trabalhos com Abstrato Estilo de Vida e Dj Big Edy, rimando com essência, apresentou seu trabalho a muitos que ali não conheciam, cativou.

Cabrero deu sequencia com Dj Spaiq e seu convidado Dipper Beats no Beat Box e Arnaldo Tifu, fechando sua parceria com o Coletivo N.A.S.A., aonde o combinado de suas produções e seu solo se apresentariam em duas edições, feito com sucesso, aguardaremos mais indicações para o projeto.

Fechando, Marco Nalesso e A Fundação, lançaram seu novo CD em grande estilo, com uma apresentação recheada de grooveria e brasilidade, eles tocaram pela primeira vez em Santo André o projeto Três Vezes Grande, trabalho esse que não subtraiu a improvisação do último disco, mas com certeza mostrou a evolução de uma bagunça organizada.

Então, para nossa alegria de sermos surpreendidos novamente, rompemos, sem esforço, afinal vieram até nós, as fronteiras brasileiras…Chegaram por volta das 21h, alguns músicos da Costa Rica, Uruguay e Argentina, tocando juntos há 4 dias, não souberam informar um nome para seu projeto, mas foram firmes no quesito vertente musical: afro-latino-americano. Carinhosamente intitulado por nós de “Amigos da América”, aceitaram a entrada no palco após a última atração e o público acabou não arredando o pé e lotou a pista curtindo muito a energia dos tambores e dos músicos que apresentaram 1 hora de um show simplesmente enérgico.

Esse é o Motirõ em Movimento…Com dinamismo, respeito e valorização à cultura em suas diversas linguagens, traz a tona o anseio da sociedade civil em melhorias locais para soluções globais. Até o próximo Motirõ em Movimento.

Por Sergio Narciso.

VIII Quarta em Movie – Bela Augusta

Ação!

Foi exibido no último Quarta em Movie no Espaço de Arte & Convivência Gambalaia, o filme Bela Augusta.

O curta é tão intrigante que põe o expectador ao lado observador, deixando ele se sentindo como aquela mosca da expressão: “Queria ser uma mosca para saber o que acontece”, em determinado lugar.

Com uma bela fotografia da Rua Augusta, sem diálogo algum, o curta retrata bem algo que pode acontecer em qualquer lugar do Mundo, mas com maior incidência ali, na enfeitiçada parte baixa da famosa Rua “Bela” Augusta

Ana Divino, abrilhantou com sua presença, dialogando sobre a espontaneidade em que ocorreram as gravações e a tirada de estereótipo de qualquer personagem.

Depoimento de Ana Divino:

INSPIRAÇÃO
“Entro em São Paulo e meu coração dispara, antevendo a agitação que me recepcionará a noite… mas antes o tédio de um dia inteiro de expectativa. As horas escorrem mansas e de repente galopam traiçoeiras! Fogem-me pelas mãos.
Tenho de mentir, tenho de matar um exercíto de zumbis, de carros, de fumaças para alçançar o meu destino e quase lá sou capaz de engalfinhar-me com a formosa rapariga por causa de um táxi. Não é justo morrer assim na praia.
Mas chego!
E mesmo depois de quase oito anos fazendo e exibindo curta metragens, minhas mãos ainda gelam quando a luz se apaga e o projetor se acende. Acredito que vão gelar sempre. Não importa o tamanho da sala ou da tela ou a quantidade de pessoas sentadas esperando.
Cada exibição é um momento de glória . Cada vez que vejo os crédito subirem é uma vitória a mais. Contra as dificuldades e toda a descrença que insiste em me rondar.
Mas dessa vez capricharam no menu, e degusto um debate delicado e intenso. Um sentimento de estar entre amigos de longa data que acabei de conhecer. Falando sobre aquilo realmente que faz sentido, sobre a mágica de criar uma ilusão audiovisual, de criar um universo baseado no som e na imagem e na imaginação.
O Bela Augusta tem sido o melhor presente que ganhei nesses anos todos de dedicação e dúvidas. Algo me dizia para correr para essa exibição no Quarta em Movie. Algo me avisava de que daquela sala escura eu tiraria mais forças para continuar insistindo…

E eu tinha razão. Obrigada, amigos!!”

Até o próximo Quarta em Movie.

VI MOTIRÕ EM MOVIMENTO

Bem Vindos ao…

…Motirõ em Comprimento, ops! Motirõ em Movimento!

Ouvi durante o evento que o cidadão foi da porta à pista comprimentando todos seus amigos e que sendo assim deveria mudar o nome do evento novamente pro nome citado acima. Parei para parar para pensar que isso mostra o quão forte as interconexões humanitárias estão rolando nas terças quinzenais no Tupinikim Pizza Lounge.

Logo que decidido o layout das aparelhagens de som, ficou evidente que deveriam estar todos ali de certa forma conectados, então BaBoom, com seu arsenal musical iniciou os trabalhos no palco bem cedo, Ras Wellington do Fyadub se colocou próximo à mesa de som e ao lado oposto Dj Negrito se instalou, assim como Fyadub no mesmo degrau do público, o chão! Chão esse que tem mostrado excelência quando em forma de Palco ou simplesmente em forma de Platéia.

O Coletivo N.A.S.A. é muito grato ao Douglas Henrique por seus serviços prestados em todas as edições do Motirõ em Movimento.

O Bazart trouxe muita gente dessa vez, ganhando notoriedade nos produtos exclusivos e de qualidade única, muitas vezes feita de forma artesanal, mesmo que com processo industrial. O conceito Viciado de Osmar (Miolo Mole), veio com tudo, o conceito iniciou com uma quantidade mínima de peças há duas edições atrás, hoje, já conta com infraestrutura de mostruário e variedade na coleção, crescendo junto. Também esteve presente a V4MO, ilustrando o CINEDOC com vídeos de skate, a Burning, com instalações de manequim decorado, a Beholder Digital compareceu com suas canecas personalizadas novamente fazendo encomendas. As sempre presentes Thaty e Marina em sua união de brechós Marinega Brechó e Mofo da Nega Brechó, além de seus artigos exclusivos, deram uma força pra nossa querida Soninha que confecciona cachecóis e também foram expostos para venda. A novidade veio em forma de protetor de orelhas MUFFS, representado por Maria Luisa, a curiosidade sobre o acessório floresceu no público presente.

A campanha do agasalho foi um sucesso mais do que o esperado já que não houve tempo de comunicar. Dois dias apenas de divulgação trouxeram uma quantidade considerável de roupas em bom estado de conservação. Daremos continuidade a essa campanha nas próximas edições, colabore AQUI!

Iniciando os trabalhos artísticos da noite a Folia Urbana, com Tuka Ferrari, Bira Azevedo, Bebe do Goes, Risa Durães e Raifah Monteiro, em sua primeira apresentação, pos o público para primeiramente andar, pois a apresentação se iniciou na rua, interagindo com os transeuntes e, em forma de cortejo, adentrou o Tupinikim com um Maracatu de Baque Virado que aí sim novamente pos o público pra pular, rodar, gritar, sambar e se mexer. Se jogando no abismo sem volta o integrante Bira avisou: “O ABC não fica mais parado!”

Fyadub com Ras Wellington trouxe Moneky Jhayam, Igor Rolim e Afreekadu I, sendo assim, um “vídeo”, vale mais que mil palavras:

Mc Stefanie e Dj Negrito deram continuidade sincronizada aos trabalhos musicais da noite. Stefanie com seu ritmo e poesia marcante deixou a galera com cara de apaixonado pela mulher que se apresenta.

Praticamente encerrando os musicais da noite, a grande família BaBoom, fez seu último do jeito que eles gostam, fazendo a amizade prevalecer no ABC. Recheado de metais, atitude e energia, a banda vem se mostrando cada vez mais séria e engajada no que tange a disseminação de sua música.

No entanto, BaBoom, está na reta final de seu Catarse, projeto que “coletivamente”, paga o plano em questão de gravar seu CD. Para ajudar, basta clicar no link: http://catarse.me/pt/projects/608-ba-boom-cd-incendeia

Encerrando, Dj Negrito como mestre nas pick ups que é, não quis saber de desligar equipamentos e mandou algumas finaleiras tão pesadas quanto esse evento todo.

Carol Malabares participou como sempre de forma bem quente:

Filmado por Jorginho

E o Live Paint teve 4 participações: TKS, Preto One, Jonas e Derico, colorindo o ambiente externo e desapegando de suas obras aoentrega-las pro público frequentador do evento.

A fotografia ficou por conta de Thiago Nascimento e Ricardo Kafka, clique AQUI! E Bruno Cabrero como Mestre de Cerimônias.

Dia 22 de Maio tem mais! Aguardem…

Por Sergio Narciso, Skatista, Técnico Administrativo em Telecomunicações e Produtor